sábado, 12 de dezembro de 2015

' Sujos de Pureza - O portal - Capítulo 1: O início de tudo - Parte 2.

 ' Hey, Gabz here! Estou feliz! Acabei de voltar do lançamento do meu livro e foi mais do que perfeito! Agradeço aos que foram, à Naiara, e à minha queria amiga, Glaubia, que provavelmente já está lendo isto bem antes do que qualquer um, haha!
 ' Continuação de "O portal" logo ali e Sinopse do livro mais abaixo, espero que gostem.
 ' Boa noite!




 (...) Ela tinha sido desintegrada anos atrás juntamente ao seu esposo, por Damon. Tudo o que mais queria naquele momento era correr até lá, abraçá-la e chorar, chorar pela falta, pelos sofrimentos, por todo tempo perdido e contar da angustia em seu coração, porém, seus pés estavam presos, não podia se movimentar, nem para frente e muito menos para trás. Um ônibus passou entre o contado visual deles e ela desapareceu. Com olhos rasos d'água, ansiava desesperadamente pela figura maternal que tanto amava. Secou uma lágrima angustiada com a manga da blusa, deu uma volta em si e mais uma vez pode vê-la, no mesmo lugar anterior. A voz que mais sentia falta desde a perda, adocicou sua mente:
 - "Olá, meu filho".
 Comunicava-se por telepatia, um novo choro se formou e ele gaguejou:
 - M-mãe!
 Aurora sorriu:
 - "Está tão grande e belo"!
 Não conseguiu responder, mas com postura, a bela dama continuou, cheia de carinho em suas palavras:
 - "Consegui contato direto depois de muito insistir ao Todo Poderoso. Hoje uma coisa muito importante vai acontecer na sua vida, uma nova etapa. Precisará ser corajoso, contamos com você para o bem do mundo. Necessitará de seu autocontrole, mais do que antes, garanto que desta vez terá uma ajuda digna".
 Sussurrou:
 - Volta. Sinto falta de ti e do meu pai.
 - "Você e seu pai são as melhores coisas que aconteceram na minha vida, Léo, mas se voltarmos consequências catastróficas tomariam um rumo assustador, prejudicando até os humanos, violando muitas leis naturais".
 - Mãe...
 Sua imagem começou a ficar fraca, ele conseguiu correr até ela e antes de simplesmente abraçar o ar, escutou bem baixinho:
 - "Eu amo você, filho"...
 Decepcionado, procurou se recompor, já tinha gente pensando que era louco. O que foi esse aviso? Algo realmente importante mudaria a sua vida?
 Leonardo Pablo, no auge de seus 18 anos, era frio, pessimista, quase sempre carrancudo, sistemático, alto, feição quase incomum com detalhes bem desenhados, gosto musical agressivo e um passado além do que se passa na cabeça de um ser humano comum. Morava sozinho, tinha perdido seus pais quando era apenas um adolescente sem se quer um conhecimento do mundo inferior, tinha sonhos invadidos por demônios quase todas as noites, às vezes sentia coisas estranhas, frequentemente tinha fortes dores na coluna e em vários momentos se assustava com o fato de que via algumas coisas antes de acontecerem. Leonardo tinha miopia, por isso usava os óculos, mas não era sempre, afinal, esse problema só aparecia e permanecia quando achava conveniente e ele odiava isso. Ultimamente sua visão permanecia embaçada, ele parecia até um garoto normal com problemas normais.
 Quando comprou o aparelho novo para asma e aliviou o começo de uma falta de ar descontrolada, foi pra loja de seu amigo Pierre Petris, com a finalidade de ganhar algum dinheiro.
Subiu as escadas de metal e passou por um portão de vidro.
 - Bom dia, Léo.
 - Bom dia, cara.
 - Andou chorando, menino?
 - Não, é alergia.
 Pierre, careca, com os dentes da frente um pouco separados, dedos cobertos por anéis diferenciados, roupas sempre vermelhas e 48 anos de idade, era o único "amigo" de Leonardo, quase um irmão.
 - Tem alguma coisa pra mim hoje, chefia?  - Tem. Mollye pediu aquele estilo de quadro novamente, o mesmo da última vez.
 - Devo fazê-lo agora?
 - Obviamente. Não sei fazer as ondas destacadas como você faz. O pedido é o mar com uma praia repleta de cavalos selvagens.
 - Termino até o horário de almoço.
 Andando depressa, foi para a oficina de pintura. Por um minuto pensou ter visto sombras correndo pelas paredes, mas concluiu ser só impressão. Assim como todo mundo, Léo tinha um segredo bem antigo, o qual não conseguia controlar às vezes. Entre tantos quadros, sentiu uma leve dormência nas mãos, olhou seus dedos e estes faiscavam intensamente.
 - Ótimo, uma sobrecarga logo de manhã.
 Então sua coluna estralou, sua cabeça se inclinou para cima, seus olhos emanaram um brilho azul estranho, seus pés ficaram a centímetros do chão e imagens claras começaram a aparecer em sua mente. Logo estava andando por uma floresta escura, as folhas secas estralavam a cada passo, troncos cortados muita das vezes lhe impedia a passagem, as árvores rangiam e sons desconhecidos passavam acima das copas. Passou por carvalhos tortuosos e parou em uma clareira tomada pela fraca luz de um sol gelado. (...)


 ' Continua?

3 comentários:

  1. Cade a terceira parte amor??? To esperandoo kkkk

    ResponderExcluir
  2. Adorei o lancamento viu ^^ muito bom eu ja quero o segundo da saga kkkk e desenhos desses personagens timo e rafa ok kklkk

    ResponderExcluir